Cirurgia Plástica

A cirurgia plástica tem a finalidade de beneficiar a saúde, a autoestima e até a aparência de uma pessoa. Cada procedimento da cirurgia plástica é indicado para determinadas situações. Por isso, o ideal é a pessoa interessada em realizar algum deles agendar uma consulta com um cirurgião plástico que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) para obter informações detalhadas sobre a cirurgia que pretende realizar.

Em termos gerais, a cirurgia plástica é recomendada para pessoas saudáveis, não portadoras de patologias que possam prejudicar a cicatrização ou aumentar o risco da cirurgia, não fumantes e que possuam uma perspectiva positiva e expectativas realistas sobre o procedimento.

Há mais de dois mil anos antes de Cristo foram realizadas as primeiras cirurgias plásticas, de acordo com alguns registros encontrados em papiros. Há 48 casos cirúrgicos relatados no papiro de Smyth, o mais antigo texto médico, oriundo do antigo Egito, conforme consta no livro Cirurgia Plástica Volume Um: Princípios.

Outros relatos remetem à Índia e narram reconstruções de partes do corpo feitas por intermédio de técnicas rudimentares. As mais comuns eram realizadas no nariz. Os hindus usavam fibras ou faixas de tendão para costurar bordas de ferida, ou utilizavam mandíbulas de insetos para fixá-las.

Muitos séculos depois, a necessidade de reparar os corpo e as faces de soldados e civis afetados pelos bombardeios, tiros e desmoronamentos durante as duas Guerras Mundiais foi o estímulo para médicos de todo o mundo se interessarem pelas cirurgias de reconstrução e dedicarem-se a estudá-las e aprimorá-las, promovendo o avanço da especialidade.

Hoje, o constante desenvolvimento e aperfeiçoamento dos procedimentos da cirurgia plástica fazem com que, anualmente, milhões de pessoas em todo o mundo recorreram às técnicas existentes para corrigir alguma imperfeição ou elevar a autoestima e o próprio bem-estar.

Para tornar-se um especialista, o cirurgião plástico precisa de muito tempo e dedicação absoluta. Primeiro, necessita obter a graduação
em medicina, a exemplo de qualquer médico. São seis anos de formação.

Depois de concluir a faculdade, faz a residência médica em cirurgia geral em hospitais que ofereçam a especialização. Para ser aceito como médico residente, precisa, antes, ser aprovado no exame para residência médica. Ao ser aceito, permanece mais dois anos realizando cirurgias, treinando as técnicas cirúrgicas e aprimorando o conhecimento sob a supervisão de médicos mais experientes.

Quando conclui a residência, o médico recebe o título de especialista em Cirurgia Geral. Somente após ser um cirurgião geral especializado é que o médico pode realizar o exame para a residência médica em cirurgia plástica nos hospitais credenciados como hospitais-escola no Ministério da Saúde (MS) e Ministério da Educação (MEC). O médico que é aprovado nesta segunda residência médica faz mais três anos de treinamento supervisionado em cirurgia plástica. Só depois, torna-se apto para prestar a prova para obter o título de Cirurgião Plástico Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Ao todo, são onze anos de estudo e treinamento até o médico poder realizar a prova da Sociedade. Nesse período, o cirurgião aprende a realizar todos os procedimentos da cirurgia plástica e torna-se habilitado a realizá-las com segurança.

 

Para tirar mais de suas dúvidas sobre Cirurgia Plástica agende sua consulta de avaliação com o Dr. Cyro Palma – (19) 3453-3900.

 

Fonte: SBCP-SC